share on:

Acredito que numa tentativa de competir com a enorme variedade de cafés em cápsulas que surgiram nos últimos anos, a Iguaçú lançou o Café Solúvel Gourmet. Em um primeiro momento me parece um pouco contraditório um café ser solúvel e ser gourmet ao mesmo tempo. Comparando com outros cafés solúveis, este tem os grãos mais claros dando uma impressão (errada) de que é mais fraco. Acho que essa diferença na cor se dá pois este café é feito com um grão diferente. Segundo a Iguaçú este é 100% café Arábica, enquanto outros cafés são feitos com o grão Robusta.

O café Arábica é considerado superior ao Robusta e tem 50% menos cafeína. Dentro da espécie Arábica de café ainda há diversos subtipos, mas a Iguaçú não informa qual utiliza. Mas informa que utiliza uma técnica de produção chamada Freeze Dried, processo onde o extrato do café concentrado é seco a frio, o que reteria por completo o aroma e sabor do puro café.

Como se espera de um café solúvel, ele se dissolve muito bem na água, sem deixar resíduos. Não há formação de espuma, apenas uma nevoazinha branca, muito semelhante aos outros cafés solúveis.

E o sabor? Bom, com certeza ele é diferente. Ele é mais encorpado que outros solúveis, mais forte e amargo. Eu gosto do meu café mais fraquinho e suave. Preto ficou muito amargo para o meu gosto, mas com leite ficou muito gostoso.

O posicionamento do produto que me deixa um pouco confusa, pois se eu aprecio café de qualidade provavelmente não vou me importar de perder alguns minutinhos e passar um café, ou até mesmo utilizar uma cafeteira. E quem não é tão exigente provavelmente irá escolher outra marca mais barata. O potinho de vidro eu comprei por R$5,99 no Zaffari, enquanto os demais cafés solúveis custam em torno de 4 reais.

Acho que vale a pena experimentar, mas com certeza não substituirá um bom café passado.

share on:
Julia Soares

Julia Soares

Administradora, cursando pós em Gestão em Gastronomia. Adoro comer bem, ir ao cinema e qualquer coisa originária do Japão, desde a comida às artes marciais.

3 Comments

  1. Eu já experimentei e gostei bastante. Prefiro tomar menos cafés por dia, porém mais fortes. Tomo, no máximo, 3 taças ao dia. Ele realmente é mais encorpado e tem um gosto muito diferenciado, porém não achei mais amargo e sim mais equilibrado. Lembrando que o gosto amargo depende da torra de cada café. Quanto mais forte for a torra, mais sensação de amargo teremos. Eu compro ele direto. Comprei outro para não ficar bitolado sempre no mesmo, porém não consegui tomar, tive que voltar para este Gourmet. Na minha opinião vale e muito o investimento.

  2. Sou viciado em café e preguiçoso ao mesmo tempo. Por isso, na maior parte das vezes tomo café solúvel, Nescafé tradicional. Embora ache que o café passado seja muito melhor!!!
    Provei este daqui e não posso dizer que achei ruim, mas não me convenceu plenamente a pagar a mais por ele. Talvez seja uma questão de costume. Quem sabe quando o vidro terminar eu não terei mudado de opinião?

Leave a Response